Sintomas Somáticos

Um sintoma somático é qualquer sintoma físico que gere desconforto, mas que talvez não esteja ligado a uma disfunção física detectável no organismo, ficando assim difícil entender porque a pessoa está sentindo o sintoma. Não sabemos ainda o que determina a existência de todos os sintomas somáticos, mas já sabemos várias coisas úteis. O sintoma somático mais comum é a dor, mas outros exemplos são a perda de fôlego, problemas gastrointestinais e o rubor no seu rosto quando você fica envergonhado. Muita gente vivencia diferentes tipos de sintomas somáticos ao longo da vida, mas que não são tão duradouros ou intensos e assim acabam sendo ignorados. Algumas pessoas sofrem mais com esses sintomas e procuram ajuda médica. Elas muitas vezes acabam decepcionadas quando
o médico diz que tudo parece estar normal com o corpo delas. Em situações mais graves, a forma como essas pessoas lidam com sintomas somáticos pode levá-las a desenvolver o transtorno de sintomas somáticos ou transtornos relacionados, antes conhecidos como transtornos somatoformes. O transtorno de sintomas somáticos é uma condição na qual a pessoa vivencia um ou mais sintomas somáticos como a dor que geram dificuldades duradouras na sua vida e sofrimento. Com frequência, a base médica do sintoma é desconhecida. Mas mesmo quando alguém apresenta um sintoma somático com uma base médica clara é possível que a pessoa desenvolva esse transtorno, já que o aspecto crucial dessa condição é a reação extrema da pessoa ao sintoma ao invés da mera ausência de uma condição médica observável. Essa reação precisa ser desproporcional à intensidade do sintoma que a pessoa relata e envolver um nível alto de preocupação, tempo e esforço dedicado a lidar com o sintoma que prejudica a sua rotina. Pessoas com essa condição podem por exemplo viver indo a médicos em busca de uma solução. Esse diagnóstico agrupou condições que antes eram separadas, tais como o transtorno de somatização, a hipocondria e o transtorno doloroso. A maior parte das pessoas que seria antes diagnosticada com esses transtornos poderia receber agora o diagnóstico mais atual de transtorno de sintomas somáticos. Pessoas com uma predisposição biológica a ter maior sensibilidade à dor ou que passaram por situações traumáticas na infância podem ter maior chance de desenvolver o transtorno ou outros transtornos relacionados. A chance também é maior entre pessoas que ao longo da vida aprenderam a ganhar mais atenção dos outros por meio de doenças ou que vivem em culturas que desqualificam o sofrimento psicológico em comparação com o físico. Esse transtorno acaba sendo um desafio tanto no diagnóstico como no tratamento, já que o sintoma somático exato pode variar bastante e o que está por detrás dele pode ser um mistério. O foco do psicólogo pode ser ajudar o paciente a flexibilizar sua preocupação com saúde, lidar melhor com as preocupações associadas aos sintomas, reduzir o estresse gerado por eles e lidar com outros sintomas comuns de acompanharem essa condição como sintomas depressivos. A terapia cognitivo-comportamental é uma das abordagens mais usadas para tratar essa condição e existem evidências que apoiam a sua eficácia. O uso de antidepressivos também pode facilitar o impacto da psicoterapia, especialmente em casos nos quais os sintomas depressivos são mais intensos. Outras condições relacionadas ao transtorno
de sintomas somáticos são o transtorno de ansiedade de doença, transtorno conversivo, transtorno factício dentre outros. Obrigado mais uma vez e até a próxima!
http://www.revistavortice.com.br/

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *